Novo presidente sul-coreano pede que exército mantenha alta prontidão de combate

O novo presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, pediu nesta quarta-feira, 10, horário local, que as Forças Armadas do país mantenham o alto nível de preparação para entrar em combate, em meio às recentes tensões com a Coreia do Norte.

 Eleito com 41,1% dos votos nesta terça-feira, 9, o novo líder sul-coreano recebeu um relatório do chefe do Estado-Maior Conjunto, general Lee Sun-jin, sobre a crise no país vizinho, que vem ameaçando entrar em uma guerra nuclear com os Estados Unidos, grandes aliados de Seul.

Apesar da mensagem direta ao exército, Moon Jae-in foi eleito defendendo mais diálogo e a reconciliação com Pyongyang, ao contrário da sua antecessora, a presidente Park Geun-hye, afastada do cargo por envolvimento em esquemas de corrupção.

Identificado com o centro, Moon é um filho de imigrantes da Coreia do Norte. Ele entrou para a faculdade de direito de Kyunghee, em Seul, nos anos 1970, mas acabou sendo expulso por organizar protestos contra o governo autoritário de Park Chung-Hee, pai de Park Geun-hye. Mais tarde, ele acabaria se tornando um dos principais nomes na luta pela democracia no país, atividade que lhe garantiu uma função na administração do presidente Roh Moo-hyun, como conselheiro e chefe de gabinete, no início do século XXI. Aos 64 anos, lidera o Partido Democrático da Coreia do Sul.

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.


*